Igreja

Igreja
A Igreja é de Cristo e é essa que o cristão deve ambicionar servir e não usar

quinta-feira, 23 de março de 2017

ADORAÇÃO 24 HORAS - BASÍLICA DA ESTRELA - 24 DE MARÇO


Lançamento do livro "Os pastorinhos de Fátima" no Oratório S. Josemaria em Lisboa


Reflexões Quaresmais

Estátua do Santo Cura d'Ars apontando o caminho
Quaresma – 22ª Reflexão

Nesta caminhada quaresmal, trazes ao meu coração a obediência.

Colocas-me a mão sobre os ombros e caminhando juntos, dizes-me:
Sabes, meu filho, como a obediência é uma virtude hoje em dia mal percebida, vista quase como um sinónimo de fraqueza.
E não é assim! A obediência dos filhos de Deus, a obediência do ser Igreja, exige pelo contrário, uma força e uma coragem empenhadas e constantes.
Mas não é uma obediência cega, mas sim uma obediência de confiança no amor de Deus e como tal uma obediência de amor e por amor. Por isso mesmo, é iluminada e fortalecida pelo Espírito Santo que se derrama em vós.
E dessa obediência vem a paz, a serenidade, a confiança, a esperança, a salvação, enfim o amor na sua plenitude.
Repara que foi por obediência de amor ao Pai e por amor a vós, que Me entreguei totalmente por ti e por todos os outros, e por isso mesmo, dessa obediência veio a libertação da lei do pecado que conduz à morte, dessa obediência veio a Salvação para ti e para todos.

Fito-Te nos Teus olhos amorosos e peço-Te:
Ensina-me, Senhor, a obediência.
Não a obediência cega, sem sentido, mas a obediência de amor, por acreditar que nada do que me pedes vai para além das forças que me dás e, sobretudo, porque essa obediência é sempre o melhor para mim e para os outros, no caminho da salvação que por Tua graça nos dás.

Obrigado, Senhor, pela virtude da obediência.

Monte Real, 3 de Março de 2016

Joaquim Mexia Alves na sua página no Facebook

Centenário – Inconformidade

Imprecação à minha querida Mãe do Céu

Mãe, desculpa a minha franqueza, mas eu, por momentos, penso que o Teu Divino Filho dorme!

Estou siderado com a loucura que se está a instalar neste País do qual és Rainha.

As leis iníquas que alguns – infelizmente tantos – pretendem aprovar e que, outros, por respeito humano ou pura cobardia, estarão dispostos a ractificar:

O aborto, a eutanásia, a ideologia de género, a legalização da união de pessoas do mesmo sexo, tudo feito e imaginado por mentes doentias, sem critério nem formação, que pretendem fazer crer que fazem o que fazem por preocupação pelos direitos dos outros, por solidariedade, por “bons motivos”.

São pessoas, bem sei, e teus filhos também, não me esqueço, mas são doentes, insanos, quando não agentes de seitas ou associações que têm como único objectivo destruir a família e aviltar a dignidade da pessoa humana.

Desculpa, Mãe, mas estou sem saber o que fazer, o que posso fazer!

Então… ouvi a resposta:

‘Enganas-te, filho, o meu Divino Filho não dorme NUNCA!

O que podes e deves e tens a fazer:

REZA MAIS E COM MAIOR DEVOÇÂO E CONFIANÇA!’

(AMA, Reflexões, 22.03.2017)

São Josemaría Escrivá nesta data em 1939

Escreve uma carta a Álvaro del Portillo: "Jesus te guarde, Saxum. E assim és. Vejo que o Senhor te dá fortaleza, e torna operativa a minha palavra: saxum! Agradece-Lho e sê-Lhe fiel, apesar de... tantas coisas. Se visses, que ganas tão grandes tenho de ser santo, e de fazer-vos santos! Abraço-te e abençoo-te Mariano.

MISSÃO CUMPRIDA - Biografia de Álvaro del Portillo por Hugo de Azevedo

LIVRO RECOMENDADO

Alvaro del Portillo foi o sucessor de S. Josemaría Escrivá como Prelado do Opus Dei e após a sua morte tomou a missão de fazer do Opus Dei uma Prelatura Pessoal e a isso se tinha dedicado ainda quando o Fundador era vivo. Grande entusiasta dessa missão a ela dedicou a sua vida. Nesta obra, Hugo de Azevedo, tal como na biografia de S. Josemaría – UMA LUZ NO MUNDO – faz um retrato fiel e exaustivo dos trabalhos e carácter desta figura exemplar, numa linguagem elegante e fácil. Uma obra indispensável para conhecer melhor uma grande figura da Igreja.

O Evangelho do dia 23 de março de 2017

Jesus estava a expulsar um demónio, que era mudo. Depois de ter expulsado o demónio, o mudo falou e as multidões ficaram maravilhadas. Mas alguns disseram: «Ele expulsa os demónios pelo poder de Belzebu, príncipe dos demónios». Outros, para O tentarem, pediam-Lhe um prodígio vindo do céu. Ele, porém, conhecendo os seus pensamentos, disse-lhes: «Todo o reino dividido contra si mesmo será devastado, e cairá casa sobre casa. Se, pois, Satanás está dividido contra si mesmo, como estará em pé o seu reino? Porque vós dizeis que por virtude de Belzebu é que lanço fora os demónios. Ora, se é pelo poder de Belzebu que Eu expulso os demónios, os vossos filhos pelo poder de quem os expulsam? Por isso eles mesmos serão os vossos juízes. Mas se Eu, pelo dedo de Deus, lanço fora os demónios, certamente chegou a vós o reino de Deus. Quando um, forte e armado, guarda o seu palácio, estão em segurança os bens que possui; porém, se, sobrevindo outro mais forte do que ele, o vencer, tira-lhe as armas em que confiava, e reparte os seus despojos. Quem não é comigo é contra Mim; e quem não colhe comigo desperdiça.

Lc 11, 14-23

O Evangelho do dia 23 de fevereiro de 2017

«Se o mundo vos aborrece, sabei que, primeiro do que a vós, Me aborreceu a Mim. Se fosseis do mundo, o mundo amaria o que era seu; mas, porque não sois do mundo, antes Eu vos escolhi do meio do mundo, por isso o mundo vos aborrece. Lembrai-vos da palavra que Eu vos disse: Não é o servo maior do que o senhor. Se eles Me perseguiram a Mim, também vos hão-de perseguir a vós; se guardaram a Minha palavra, também hão-de guardar a vossa. Mas tudo isto vos farão por causa do Meu nome, porque não conhecem Aquele que Me enviou.

Jo 15, 18-21