Igreja

Igreja
A Igreja é de Cristo e é essa que o cristão deve ambicionar servir e não usar

domingo, 7 de maio de 2017

Amar a Cristo...

Senhor Jesus doaste-nos a Tua Mãe puríssima no Calvário através do discípulo predileto e nós adoptámo-La como Rainha e nossa Mãe de imediato no nosso coração, sem Ela não teríamos como porto de abrigo o seu maternal regaço.

Doaste-nos ainda o dom especialíssimo da maternidade naquelas que nos criaram e que hoje homenageamos e às quais tanto amor e sacrifícios devemos.

Senhor hoje pedimos-Te também que concedas às mulheres e homens jovens do meu país um verdadeiro sentido de maternidade e paternidade, apesar das dificuldades económicas que em muitos casos servem de pretexto, pois se analisados em detalhe não são mais do que uma falta de capacidade de abnegação em prol da família.

Jesus Cristo Filho de Deus, agradecemos-Te humildemente as Mães que nos ofereceste, a Virgem Maria e a nossa Mãe terrena.

JPR

São Josemaría Escrivá nesta data em 1969

Reza no santuário de Nossa Senhora de Einsiedeln (Suiça), depois de ter estado em Lourdes (França), Sonsoles, no Pilar e em Nossa Senhora das Mercês (Espanha), onde vai pedir pela solução jurídica definitiva do Opus Dei, que chegaria em 1982 com a sua erecção como Prelatura pessoal.

Bom Domingo do Senhor!

Reconheçamos que também nós somos ovelhas a precisar de seguir o Senhor, n’Ele estaremos protegidos conforme no-lo diz no Evangelho de hoje (Jo 10, 1-10).

Louvado seja Deus Nosso Senhor que nos assegura a Sua divina bondade!

«Dou-lhes a vida eterna»

São Gregório Magno (c. 540-604), papa, doutor da Igreja 
Homilias sobre o evangelho, nº 14

O Senhor diz: «As Minhas ovelhas ouvem a Minha voz; Eu conheço-as e elas seguem-Me; e dou-lhes a vida eterna.» Delas tinha dito um pouco antes: «Se alguém entrar por Mim, será salvo; poderá entrar e sair e encontrará pastagem» (Jo 19, 9). Entrará efetivamente, abrindo-se à fé; sairá passando da fé à visão e à contemplação, e encontrará pasto abundante no banquete eterno.

As Suas ovelhas, portanto, encontram pastagens, porque todo aquele que O segue na simplicidade de coração é nutrido com um alimento de eterna frescura. Que são afinal as pastagens destas ovelhas, senão as profundas alegrias de um paraíso sempre verdejante? O alimento dos eleitos é o rosto de Deus, sempre presente. Ao contemplá-lo sem interrupção, a alma sacia-se eternamente com o alimento da vida.

Procuremos pois, irmãos caríssimos, alcançar estas pastagens, onde poderemos alegrar-nos na companhia dos cidadãos do céu. A alegria festiva dos bem-aventurados nos estimule. Reanimemos o nosso espírito, irmãos; afervore-se a nossa fé nas verdades em que acreditamos; inflame-se a nossa inspiração pelas coisas do céu. Amar assim já é caminhar. Nenhuma contrariedade nos afaste da alegria desta solenidade interior. Se alguém, com efeito, deseja atingir um lugar determinado, não há obstáculo no caminho que o demova do seu intento. Nenhuma prosperidade sedutora nos iluda. Insensato seria o viajante que, contemplando a beleza da paisagem, se esquecesse de continuar a sua viagem até ao fim.